A “alergia ao leite materno” acontece quando a proteína do leite de vaca que a mãe consome na alimentação é secretada no leite materno, produzindo sintomas que fazem parecer que o bebê tem alergia ao leite da mãe. Como identificar uma alergia alimentar em bebês?

O leite materno em si é o alimento mais completo e o ideal para o bebê, com os nutrientes e anticorpos necessários para melhorar a imunidade, e, por isso, não causa alergia. A alergia apenas acontece quando o bebê tem alergia à proteína do leite de vaca e a mãe consome leite de vaca e seu derivados.

Sintomas de uma alergia alimentar

  • Dermatite atópica;
  • Diarreia;
  • Constipação;
  • Vômito;
  • Gases;
  • Cólicas;
  • Problemas respiratórios;
  • Sangue nas fezes;
  • Refluxo;
  • Soluços;
  • Tosse crônica;
  • Rinite;
  • Asma.

Geralmente, as alergias aparecem nas regiões de dobras, como braços, pescoço, atrás das orelhas, joelhos e cotovelos. Irritabilidade também pode ser visível no momento da ingestão, além do refluxo.

Qual é a diferença de Alergia à lactose e a Intolerância à lactose?

Uma reage à proteína e outra à lactose, que é um carboidrato.

Na APLV, o organismo do bebê reage contra a proteína presente no leite da vaca, sendo necessária a exclusão total dele da dieta da criança – ou da mãe.

Já na intolerância, o que ocorre é a incapacidade de digestão do leite e, dependendo do grau desta intolerância, não há necessidade de exclusão total do leite bovino da dieta.

Para quem tem APLV, a dieta precisa ser bem restritiva, pois há alimentos que possuem a proteína e precisam ser totalmente evitados durante os meses de tratamento.

Em geral, a alergia aparece nos primeiros seis meses de vida, durante o aleitamento materno exclusivo ou ainda com o complementar, por fórmula. É importante, porém, que a mãe não pare de amamentar seu filho no peito, pois o leite materno é um aliado para ambos, ajudando na prevenção de outras doenças.

Fonte: Tua saúde