Você sabia que é possível que um óvulo fecundado se implante e se desenvolva fora da cavidade uterina, em locais como trompas, ovários, colo do útero ou dentro do abdômen? Essa situação é conhecida como gravidez ectópica e pode ocorrer em cerca de 1% a 2% das gestações espontâneas ou secundárias a fertilização in vitro (FIV).

Em uma gestação comum, o local correto para o óvulo se encontrar com os espermatozoides é dentro da trompa, onde ocorre a fecundação e, assim, o óvulo fecundado vira o embrião, que migra pela trompa e se aloca dentro da cavidade uterina para se desenvolver.

No entanto, por algum problema nas trompas ou, menos frequentemente, por causa do próprio embrião, ele se fixa em outro local, causando a gravidez ectópica.

A gestação ectópica é uma situação que causa frustração, angústia, medo, tristeza e ansiedade, ou seja, uma verdadeira ebulição de sentimentos nos casais que sonham ter um bebê.

Dúvidas mais frequentes

Quanto tempo dura a gravidez ectópica?
Esse tipo de gravidez não tem como chegar aos 9 meses, como uma gestação normal.
Em alguns casos, quando o embrião se aloja na cavidade abdominal ou no ovário, ele pode se desenvolver por um pouco mais tempo de gestação.

Gravidez ectópica dá positivo no exame de sangue?

Sim

Gravidez ectópica dá positivo no teste de farmácia?

No teste de farmácia aparece se a gestante está ou não esperando um bebê. Para saber se é uma gravidez ectópica, é necessário realizar a princípio, uma ultrassonografia.

TIPOS DE GRAVIDEZ ECTÓPICA
Conheça os principais tipos de gravidez ectópica:

GRAVIDEZ TUBÁRIA
É o tipo de gravidez ectópica mais comum e ocorre em cerca de 95% dos casos. Na gravidez tubária, o embrião se desenvolve na trompa, podendo ser tanto na parte mais externa quanto na mais interna.

A tuba não consegue se esticar muito, então ela é capaz de crescer até um determinado ponto e acaba rompendo. Quando ela se rompe, a paciente precisa de auxílio médico imediato, pois acaba ocorrendo um quadro de hemorragia abdominal.

GRAVIDEZ ECTÓPICA ABDOMINAL
O embrião também pode se desenvolver na região abdominal. Isso significa que o embrião sai pelo lado externo da trompa e se adere no peritônio, tecido que reveste a parte interna da cavidade abdominal. Pode também se aderir em outros locais como intestinos, bexiga, etc.

GRAVIDEZ CERVICAL
Acontece a gravidez cervical quando o embrião sai da cavidade uterina e se implanta no colo do útero.

GRAVIDEZ OVARIANA
É uma gravidez considerada rara e acontece quando o embrião se aloca no ovário.

GRAVIDEZ HETEROTÓPICA
Trata-se de condição rara na qual ocorre uma gestação ectópica simultaneamente a uma gestação intrauterina. No passado, a incidência de uma gestação heterotópica era 1:30.000; no entanto, com o advento das técnicas de reprodução assistida, a frequência desta complicação aumentou.

É importante frisar que a gravidez tubária, cervical ou no corno do útero, não representam locais próprios para o desenvolvimento de um bebê, fazendo com que a paciente tenha complicações.

Quais são os sintomas?

Os sintomas são os mesmos de uma gestação comum

  • Sensibilidade nos seios;
  • Enjoos;
  • Aumento da frequência urinária;
  • Dor abdominal.

O embrião se desenvolve normalmente e a paciente apresentará atraso menstrual e os testes de gravidez, tais como o Beta HCG e o de urina, darão resultados positivos. Algumas pacientes sentem dores localizadas, que ocorrem por conta das trompas ou o corno do útero que se esticam.

O exame de ultrassom transvaginal, deve ser realizado (por todas as gestantes, independentemente da presença de condições de risco ou outros sintomas) entre a quinta e a sétima semana de gravidez para datar a gestação.

Mesmo que na fase inicial ainda não seja possível observar os batimentos cardíacos do embrião, esse exame poderá detectar se o saco gestacional se implantou no local correto.

Em situações de emergência, pode ocorrer ruptura da trompa, e o quadro se complicar, com perda de sangue dentro da pelve de grande intensidade. Isso pode evoluir para choque hemorrágico se a cirurgia não for realizada de forma imediata. Nesses casos, outros sintomas podem aparecer:

  • dor pélvica, que pode piorar com esforço ou mesmo movimentos;
  • sangramento vaginal, que poderá ser moderado ou intenso;
  • hemorragia interna, que pode causar tonturas ou desmaios;
  • choque hipovolêmico ou choque hemorrágico, que pode levar a paciente a óbito (queda da pressão, aumento da frequência cardíaca e perda da consciência).

COMO FUNCIONA O TRATAMENTO ?

O embrião pode causar a destruição dos órgãos, então, em determinados casos, o tratamento é remover a trompa ou o ovário.

Quando é uma gravidez abdominal, dependendo do tempo que se descobre, há chances de o parto ser feito antecipadamente. Isso ocorre, pois, a mãe pode ter complicações graves com o bebê fora do útero.

Nos dias atuais, quando a gravidez na trompa é pequena, é possível utilizar uma medicação chamada de metotrexato. Essa substância faz a gravidez ectópica regredir e a paciente acaba não precisando fazer a cirurgia de remoção e não perde a trompa.

Fonte: https://altadiagnosticos.com.br

https://ceferp.com.br/blog/gravidez-ectopica