A falta de vitamina D pode aumentar em até 75% o risco de depressão em pessoas mais velhas, de acordo com estudo publicado no Journal of Post-Acute e Long-Term Care Medicine.

Apesar de a associação entre o nutriente e a saúde mental ser relativamente nova, outras pesquisas já haviam alertado para maior probabilidade do transtorno para indivíduos com deficiência de vitamina D. A substância também é importante para evitar doenças ósseas e musculares.

A melhor forma de obter a vitamina D é a exposição ao sol, mas alguns alimentos como salmão, sardinha, queijo, gema de ovo e bife de fígado, são boas fontes também. Especialistas ainda recomendam a utilização de suplementos. “Dado que a vitamina D é segura nas doses recomendadas e é relativamente barata, este estudo contribui para a crescente evidência sobre os benefícios da vitamina D para a saúde”, comentou Eamon Laird, um dos autores do estudo, em comunicado.

O estudo
Para chegar a este resultado, a equipe reuniu 3.965 pessoas com mais de 50 anos que participaram do Estudo Longitudinal de Envelhecimento da Irlanda (TILDA, na sigla em inglês). Os participantes realizaram uma avaliação inicial para coleta de dados; a segunda avaliação aconteceu após dois anos e a terceira, depois de quatro anos. Ao final deste período, os pesquisadores notaram que 400 indivíduos haviam desenvolvido depressão; para aqueles com deficiência de vitamina D o risco foi 5% maior, mesmo depois de excluir outros fatores de risco, como doenças crônicas, nível de atividade física e doença cardiovascular.

Fonte: https://veja.abril.com.br/saude/vitamina-d-falta-aumenta-em-75-o-risco-de-depressao-indica-estudo/

Anúncios