Saiba quando a simples dor nas costas pode esconder um problema grave. Dois estudos indicam que as dores nas costas podem ser mais perigosas do que se imagina.

Para algumas pessoas, sentir dor nas costas já se tornou parte da rotina. Para outras tantas, a perspectiva de senti-la com o avançar da idade é dada como certa. O fato é que o incômodo na lombar é um mal que atinge um percentual altíssimo da população, a ponto de mais de 80% vir a sofrer com ele em algum momento da vida.

Segundo duas pesquisas australianas publicadas em março no periódico inglês Annals of the Rheumatic Disease, a principal causa de invalidez no mundo são as lombalgias (dores que atingem especificamente a lombar). Levam também a culpa por boa parte dos diagnósticos de incapacidade que afastam do ambiente profissional.

Ambos os estudos são análises aprofundadas de dados do Global Burden of Disease 2010, levantamento divulgado em 2012 que avaliou a prevalência de 291 doenças em 187 países durante 20 anos. O trabalho da Universidade Monash, no estado de Victoria, indicou que quase 10% das pessoas sofrem de dores na região lombar. E a tendência de aumento dos casos é evidente: o número de afetados com o problema, que era de 58,2 milhões em 1990, subiu para 83 milhões em 2010. A segunda pesquisa, da Universidade de Sydney, mostrou que um em cada três casos de invalidez no trabalho (ou 22 milhões no mundo) é causado pela dor lombar.

No Brasil, as estatísticas e projeções se confirmam. Estudo do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro concluiu que 30 em cada 100 segurados da Previdência Social se aposentam por invalidez decorrente de dores nas costas a cada ano. Isso não significa que os dados sejam superdimensionados, mas fica uma leve dúvida entre os especialistas em determinadas situações. Causas físicas, como hérnias de disco e desgastes degenerativos que chegam com a idade, também são fatores importantes.

Confira algumas dicas para aliviar o incômodo no seu dia a dia:

Exercício 1

1

Na posição de 4 apoios, com as costas retas, sentar lentamente em cima dos pés, sem tirar as mãos do chão e mantendo os braços esticados e a coluna reta durante 10 segundos. Repetir o exercício, no mínimo, 3 vezes.

Exercício 2

2

Deitado de barriga para cima e com as pernas esticadas, levar os joelhos ao peito, segurando nas pernas durante 10 segundos. Repetir o exercício, no mínimo, 3 vezes.

Exercício 3

3

Deitado de barriga para cima e com as pernas esticadas, dobrar e juntar os joelhos e depois rodar as pernas para um dos lados, sem tirar os ombros do chão, durante 10 segundos. Repetir o exercício, no mínimo, 3 vezes para cada lado.
Estes exercícios devem ser feitos todos os dias até as dores nas costas passarem.

Não espere piorar!

Ninguém deve imaginar que tem de suportar a dor nas costas para sempre, enganando-se nos momentos de crise com relaxante muscular. É a negligência que leva à invalidez. “Não é qualquer dorzinha que deixa o indivíduo incapaz. No entanto, uma dor leve que não seja diagnosticada corretamente pode mascarar uma doença grave, como tumores, fraturas, inflamações, infecções e distúrbios neurológicos”, afirma o reumatologista Natour. Já no caso das temidas hérnias de disco, é diferente. “Há quem conviva com elas sem sentir nada a vida toda.” E, contrariando o que muita gente pensa, nem sempre exigem cirurgia.

Fonte: http://claudia.abril.com.br/saude/saiba-quando-a-simples-dor-nas-costas-pode-esconder-um-problema-mais-grave/

http://gnt.globo.com/bem-estar/materias/dor-nas-costas-insistente-incomodo-pode-ser-indicio-de-doencas-mais-graves.htm

Anúncios