Você é daquelas que promete fazer uma dieta para perder aqueles quilinhos chatos, mas não consegue cumprir com o próprio combinado e acaba desistindo de tudo. Para quem já está acostumada e cansada de não conquistar o resultado desejado, o jejum intermitente pode ser uma solução.

De acordo com estudos, esse tipo de dieta tem o objetivo de contribuir para a perda de peso a longo prazo e diversos outros benefícios que serão destacados mais a frente.

Acontece que esse plano de alimentação também pode ter diversos outros malefícios, o que causa uma grande confusão na mente da maioria das pessoas.

Primeiro eu quero que você conheça os tipos de jejum:

Jejum de 16 horas
Este é o mais comum, consiste em comer em uma janela de 8 horas por dia, e não comer nas outras 16 horas. Para facilitar, vou dar um exemplo:
Se você dorme das 23h as 7h, já são 8 horas de jejum. Basta adicionar 4 horas antes de dormir e 4 horas depois de acordar em jejum. Ou seja, acordar as 7h, almoçar depois das 11h e jantar antes das 19h;

Jejum de 24 horas
Consiste em fazer 24 horas de jejum, duas vezes na semana. Exemplo: Se você jantar hoje as 20h, fique até amanhã as 20h sem comer nada. Repita outra vez na semana;

Jejum de 36 horas
Este tipo de jejum, não é recomendado para qualquer um. Todos devem ser acompanhados por um profissional, mas esse mais ainda. Em alguns casos, as pessoas necessitam usufruir melhor e por mais tempo do JI, portanto é aqui que o Jejum de 36 horas se encaixa;

Dieta 5:2
Consiste em comer 2 dias na semana, apenas 500-600 calorias por dia. Nos outros dias a alimentação é normal (saudável e bem estruturada);

Dieta do Guerreiro
Esta dieta consiste em comer durante o dia apenas vegetais (em alguns casos adiciona-se fruta) e durante a noite fazer uma refeição normal. Nessa dieta, a alimentação provem de “comida de verdade” (assim como a paleolítica), onde tudo que se come deve ser natural, o mínimo industrializado possível.

Quais são os benefícios: O jejum intermitente quando bem indicado e bem feito, pode trazer algumas vantagens, como:

  1. Perda de peso rápida
  2. Mais disposição
  3. Clareza mental
  4. Controle da glicemia e insulina.

Além disso, alguns estudos preliminares apontam que o jejum pode ajudar na saúde do coração. Isso porque o corpo em jejum utiliza uma substância chamada betahidroxibutirato como fonte de energia, que é utilizada mais facilmente pelo organismo. Isso faz com que o coração poupe energia e se estresse menos.

No entanto, é muito importante segui-los apenas com indicação médica

Contraindicações do jejum intermitente, o jejum intermitente é contraindicado a alguns grupos de pessoas:

  • Gestantes e lactantes: Mulheres grávida ou que estão amamentando precisam de um aporte maior de nutrientes. Durante a gravidez, as necessidades do bebê são constantes. O jejum intermitente na gestação pode levar à desmaios, hipoglicemia e a até o baixo peso do bebê. Já as lactantes precisam de muitos nutrientes, para que possam inseri-los também no leite e garantir que o bebê consiga crescer saudável.
  • Pessoas com doenças crônicas: Medicamentos para doenças crônicas como como diabetes e hipertensão, causam mudanças no metabolismo, o que pode levar a hipoglicemias. Por isso, quem segue esse tipo de tratamento precisa conversar com o médico, ver se esse tipo de dieta é válida e, caso ela possa ser feita, é preciso antes ajustar a medicação.
  • Crianças e adolescentes: Crianças e adolescentes ainda estão em fase de desenvolvimento, portanto precisam de ingestão constante e certa de nutrientes para crescerem e se desenvolverem de forma adequada.

Além disso, há um risco maior para os adolescentes: essa fase, devido a questões emocionais e problemas de aceitação, muitos acreditam que um padrão de beleza é a magreza excessiva e podem ser drásticos para chegarem a este objetivo. Seguir um protocolo de jejum pode leva-los ao desenvolvimento de transtornos alimentares graves, como a anorexia.

Fonte: http://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/22625-jejum-intermitente-pros-e-contras-do-metodo

 

Anúncios