asma

A asma e a obesidade estão entre as maiores causas de morbidade na infância e adolescência. A obesidade precoce aumenta as chances de doenças crônicas degenerativas no adulto.

Uma pesquisa publicada na edição online da revista “Cell Metabolism” aponta que a leptina – hormônio produzido pelas células de gordura, que desempenham papel fundamental no metabolismo energético – também regula o diâmetro das vias aéreas.

O estudo, realizado em ratos, foi conduzido por pesquisadores do Centro Médico da Universidade de Columbia (CUMC, na sigla em inglês), com o objetivo de elucidar as bases genéticas e moleculares das relações entre obesidade, diâmetro das vias aéreas e função pulmonar.

A descoberta dessa nova função da liptina pode explicar o motivo de os obesos serem mais propensos à asma. “Nosso estudo começou com a observação clínica de que tanto a obesidade quanto a anorexia podem levar à asma“, disse Gerard Karsenty, principal autor do estudo e professor de medicina em Columbia, em comunicado da universidade.

De acordo com ele, há amplas evidências de que o excesso de peso pode causar o estreitamento das vias respiratórias (broncoconstrição). Quando a obesidade se desenvolve em pessoas com asma, ela agrava a doença respiratória e dificulta o tratamento do problema por razões pouco compreendidos pelos cientistas.

obesity-linked-to-asthma

Isso nos levou a suspeitar da existência de um sinal enviado pelas células de gordura que, de alguma forma, afetasse os pulmões, direta ou indiretamente“, completou. De acordo com ele, o candidato mais provável era a leptina, pois o hormônio é produzido pelas células de gordura, circula na corrente sanguínea e viaja para o cérebro.

Por meio de testes com ratos, os pesquisadores mostraram primeiramente que existe uma relação entre a falta ou excesso de peso corporal e a função pulmonar diminuída.

Em seguida, eles descobriram que a leptina aumenta o diâmetro das vias aéreas, independentemente da regulação do apetite e da inflamação local nos brônquios – canais que levam o ar aos pulmões.

O hormônio afeta as vias aéreas ao diminuir a atividade do sistema nervoso parassimpático – ramo do sistema nervoso associado a ações como dormir e relaxar, que resultam na desaceleração dos batimentos cardíacos e na diminuição da pressão arterial e da adrenalina.

O que se pode fazer?

Fazer o tratamento;

Fazer uma reeducação alimentar;

Mudar o estilo de vida;

Gostou? É só me seguir para receber diariamente dicas de saúde e alimentação.

 

Fonte: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0021-75572010000100003&script=sci_arttext

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/01/estudo-pode-explicar-maior-propensao-asma-entre-obesos.html

Anúncios