enxaqueca

Se você tem dores de cabeça frequentes, pode ser que você tenha enxaqueca. A enxaqueca, é uma doença neurológica multifatorial, caracterizada por sintomas que incluem crises de dor, fotofobia, fonofobia, náusea e vômito.

Fatores nutricionais desencadeantes da enxaqueca

Os alimentos mais citados pela literatura como desencadeantes da enxaqueca são: doces (açúcar), álcool, adoçantes, glutamato monossódico, nitritos, cafeína e alimentos que contém tiramina. O jejum prolongado é considerado um comportamento alimentar que também pode desencadear o problema.

A suscetibilidade a determinado alimento depende de cada indivíduo, por isso é importante que o paciente preste atenção na alimentação e qual o alimento ocasiona uma crise de enxaqueca.
Vários são os fatores alimentares desencadeantes de crises de enxaqueca, mas muito mais frequentes são os mitos relacionados a eles.

Os alimentos capazes de desencadear a enxaqueca possuem em sua composição substâncias capazes de provocar alterações no calibre dos vasos sanguíneos do encéfalo, primeiramente diminuindo-os e em seguida aumentado-os. São estas alterações do diâmetro das veias que provocam mudanças na visão e dores de cabeça, ou a enxaqueca clássica.

Doces, açúcar e álcool – quando há um aumento do consumo desses alimentos, pode acontecer hipoglicemia. O organismo reconhece uma “falta” de energia no cérebro para seu funcionamento normal e utiliza outros mecanismos para manter os níveis de glicose cerebral. Um dos mecanismos é o aumento da produção de catecolaminas (gerando vasoconstrição dos vasos sanguíneos), que tem como consequência o aumento da frequência cardíaca, da temperatura, irritabilidade e a produção de prostaglandinas que causam vasodilatação e por consequência a enxaqueca.

Adoçantes – Segundo estudos da literatura, o consumo de 30 mg de aspartame por dia pode aumentar em até 9% o risco de enxaqueca em indivíduos predispostos.

Glutamato monossódico – tempero muito utilizado nas cozinhas orientais, pode inibir a absorção de glicose por parte das células cerebrais, desencadeando o problema.

Nitritos – utilizados para realçar a coloração e o aspecto dos alimentos, é utilizado em embutidos. Possuem ação vasodilatadora, ocasionando a cefaléia.

Cafeína – está presente no café, chá mate, guaraná, cacau e chocolate. Tem ação vasodilatadora nos vasos sanguíneos do corpo e ação vasoconstritora dos vasos sanguíneos do cérebro.

Tiramina – está presente em queijos amarelos, chocolates, vinagre, bebidas alcoólicas, iogurtes, lentilha, amendoim e sementes, que devem ser evitados por quem tem predisposição à enxaqueca.

cefaleia-tensional-11

Uma boa lista de alimentos que previnem a enxaqueca são:

Salmão, atum, sardinha ou cavala, pois são ricos em ômega 3
Leite e tomate, são ricos em triptofano, que está relacionado com a serotonina, que conferem bem-estar;
Castanhas, amêndoas e amendoim, ricos em selênio, que diminui o estresse;
Chá de gengibre, temperos com gengibre, pois o gengibre tem propriedades analgésicas e anti-inflamatórias que ajudam a aliviar a dor;
Suco de couve com laranja porque é rico em antioxidantes que combatem inflamações;
Chá de flores de lavanda, maracujá ou erva-cidreira, são calmantes e ajudam a promover o bem-estar.
O consumo de alimentos ricos em vitaminas do complexo B, como feijão, lentilha e grão de bico, também ajuda a prevenir a enxaqueca porque atuam à nível cerebral, diminuindo a frequência das crises de enxaqueca.

Gostou? É só me seguir para receber dicas de nutrição e saúde.

 

Fonte: http://www.rgnutri.com.br/sqv/patologias/eapa.php

http://www.tuasaude.com/alimentos-para-enxaqueca/

Anúncios